COMO MANTER A SAÚDE MENTAL

COMO MANTER A SAÚDE MENTAL

É fato: uma pandemia como a que estamos enfrentando abala a vida de todo mundo. Isolamento social, instabilidade financeira, medo de contrair COVID-19, incerteza com o futuro… Tudo isso gera muita ansiedade, desespero e estresse – que podem fragilizar o sistema imunológico, abrindo brechas para doenças, e debilitar o equilíbrio psicológico.

Mas, acredite, existem maneiras simples de garantir o conforto mental nesses dias tão angustiantes. “Criar uma rotina e fazer o que dá prazer, por exemplo, são atitudes que ajudam a promover bem-estar. E isso é imprescindível nesse momento de mudança forçada”, diz a neuropsicóloga e neurocientista Adriana Fóz, autora dos livros Frustração e A Cura do Cérebro. Confira, a seguir, cinco sugestões para amenizar o abalo emocional em um período como esse:

CONECTE-SE COM VOCÊ
Respire fundo e tente ficar calmo. A gente sabe que não é tão simples assim, mas encare o confinamento como um momento necessário para proteger você, sua família e a sociedade. É uma contribuição para o bem comum. “Aproveite e olhe para dentro de você. Perceba suas emoções e seus pensamentos”, orienta Adriana Fóz. “Só você pode realmente se ajudar – até mesmo para poder ajudar os outros”, completa.

O que fazer
Medite, pratique yoga ou simplesmente pare por alguns minutos e preste atenção na sua respiração, que é a maior fonte para o equilíbrio da mente. A postura Trikonasana é eficiente para reduzir a ansiedade. “A prática acalma porque trabalha a abertura do peito. Você afasta as costelas, respira melhor e mexe com o centro de energia do coração, local onde acumulamos angústias”, explica a professora Amanda Preto.

Em pé, postura reta, deixe os pés afastados e paralelos (distância média de 60 centímetros). Gire o pé esquerdo para fora, num ângulo de 90 graus, e o pé direito levemente para dentro, com a planta do pé acomodada no chão. Seu peso deve estar igualmente distribuído entre os dois pés. Eleve os braços lateralmente, mantendo-os estendidos na altura dos ombros, com as palmas das mãos para baixo. Sem flexionar os joelhos, incline o tronco lateralmente para o lado esquerdo, levando o braço esquerdo até a canela ou o mais longe que conseguir. Importante deixar o peito virado para a frente. Estenda bem o braço direito para cima, com a palma da mão para a frente, e gire a cabeça, olhando para a mão direita. Não deixe o braço direito inclinar para trás. Inspire fundo. Expire. Fique 15 segundos na posição ou o máximo que conseguir. Levante devagar. Repita a postura do outro lado.

ALIMENTE O CORPO E O CÉREBRO
Mente sã, corpo são. O famoso provérbio simboliza que corpo e mente devem estar 100% conectados. Ou seja: você precisa adotar bons hábitos para manter o equilíbrio emocional. Praticar uma atividade física, se alimentar de forma saudável, dormir bem, fazer um curso, ler um livro, tomar sol, beber muita água… São pequenas atitudes no seu dia a dia que fazem muita diferença. “A inatividade pode produzir desânimo”, alerta Adriana.

O que fazer
Mantenha-se ativo. Procure fazer exercício dentro de casa, vá para a cozinha preparar receitas saudáveis, cuide das plantas, invista em um curso online ou opte por trabalhos manuais estimulantes, como artesanato.

DIVIRTA-SE
Rir e se distrair são comportamentos extremamente importantes para a saúde das emoções e da mente. “O ócio é fundamental para a memória e autorregulação emocional”, avisa a neuropsicóloga. “O cérebro funciona melhor se for reciclado, se tiver compensações”, acrescenta. Portanto, você precisa se organizar para saber a hora de parar e descansar.

O que fazer
Programe-se para assistir aquela série que os amigos recomendam há tempos ou a live do seu artista favorito. Cante, pule, dance! E escolha apenas um período do dia para acompanhar o noticiário. O excesso de informações pode gerar ansiedade, prejudicando o relaxamento.

CONVERSE COM AMIGOS E FAMILIARES
Sentir a solidão do isolamento é inevitável. E, não vamos negar, isso permite uma boa reflexão pessoal, mas pode gerar tristeza e até causar depressão. Então, nada de se isolar completamente. Contate familiares, amigos, colegas de trabalho. “Fique online, mas para falar, perguntar, se interessar pelos outros e não apenas teclar. Ouça o que as pessoas têm a dizer”, aconselha Adriana. Ser útil sem esperar nada em troca traz benefícios para a mente.

O que fazer
Aproveite as estratégias digitais para manter-se conectado com quem você gosta e amenizar os impactos da distância. Converse com várias pessoas ao mesmo tempo, utilizando programas como o Zoom ou o Google Meet. Bons papos por videochamadas, telefonemas ou mensagens são capazes de mudar o astral.

CRIE UMA ROTINA
Tenha um planejamento completo das suas atividades diárias e mantenha a agenda organizada. A disciplina faz toda a diferença e vai ajudar você a tomar decisões mais assertivas. “O cérebro se desgasta menos quando tem diretrizes e se fortalece bastante quando você otimiza o tempo e as ações”, esclarece Adriana Fóz.

O que fazer
Organize seu dia com antecedência e programe os horários de cada atividade. Crie sua rotina de trabalho, respeite o período das refeições, dos exercícios e de descanso e não esqueça de reservar uma parte do dia para se cuidar – hidratar os cabelos, esfoliar a pele, cortar as unhas… Tudo que aumenta a autoestima gera prazer e relaxamento.