10 MOTIVOS PARA FAZER UMA CORRIDA VIRTUAL

10 MOTIVOS PARA FAZER UMA CORRIDA VIRTUAL

Por Yara Achôa

As circunstâncias globais nos levaram a ficar em casa e a circular muito menos por aí – quando muito fazendo algum exercício indoor ou pelas redondezas. Agora, mesmo com os recentes planos de reaberturas das cidades, ainda não é possível juntar a galera para treinar ou estar naquele evento. Mas quem disse que não dá para se divertir e entrar no clima de uma competição esportiva? As corridas virtuais chegaram para ficar, injetando energia e motivação à rotina. Seja você um atleta de performance, um iniciante ou alguém que está apenas querendo começar, confira bons motivos para experimentar e cair de amores por essa nova modalidade!

CORRA ONDE ESTIVER E NO HORÁRIO QUE QUISER

As provas tradicionais exigem que você esteja presente no dia determinado pela organização, faça sol ou faça chuva. E se você tivesse um compromisso na véspera, como aquele casamento do amigo de infância? Se acordasse não se sentindo bem? Na corrida virtual, você escolhe o dia e o horário. Também acabou a história de acordar antes do sol nascer para chegar a tempo de participar de sua prova preferida e enfrentar filas, trânsito e aglomeração. Você determina quando quer fazer e faz, aproveitando cada quilômetro. Se estiver chovendo, dá para deixar para outro dia ou partir para a esteira. Simples assim. Algumas recomendações, no entanto, valem ser levadas em conta. “Prefira fazer sua prova pela manhã, antes das 10h, ou no final da tarde, depois das 16h, por conta da temperatura mais amena. E escolha um local de pouco movimento ou com número limitado de pessoas circulando. Se optar por correr pelas ruas, vá para uma via de tráfego menos intenso, para não ter que ficar parando a cada esquina. Se for pelas calçadas, redobre a atenção: cuidado com buracos e desníveis do piso”, diz Thiago Penna, head coach do Team Penna Treinamento Esportivo. Ele completa: “Ao cruzar com outras pessoas pelo caminho, mantenha o distanciamento necessário. Dê o seu melhor, mas não pense em performance. A ideia é se divertir com segurança”.

VÁ NO SEU RITMO

Todo mundo sabe que não dá para fechar as ruas de uma cidade por um dia inteiro, por isso a maioria das provas estabelece um tempo limite para o atleta completar o percurso. Na corrida virtual, você fica mais “à vontade” e leva o tempo que for necessário para completar o percurso. “Mais do que nunca é importante cuidar da saúde. E a atividade física praticada em intensidade moderada ajuda a fortalecer a imunidade. Por isso, não pense em bater recorde e, sim, em estar em movimento constante e ter prazer no que está fazendo”, fala Marcos Paulo Reis, diretor técnico da MPR Assessoria Esportiva.

PARTICIPE DE DESAFIOS COM ATLETAS DO BRASIL INTEIRO

Na plataforma de corrida virtual e pelas redes sociais você tem a chance de trocar informações e participar de disputas em uma grande comunidade de corredores, ampliando seu círculo de amizades. “Tenho acompanhado esse tipo de evento, vejo a galera bastante envolvida e compartilhando experiências. Foi uma forma que encontramos também de motivar nossos alunos e treinarmos com eles, porque muita gente não gosta de correr sozinho. Uma das coisas bacanas desse esporte continua sendo a socialização”, diz Ju Véras, atleta e diretora técnica da Ju Véras Assessoria Esportiva.

COMPLETE SUA DISTÂNCIA PREFERIDA COM AMIGOS QUE MORAM LONGE

Seu best está do outro lado do país? Corram juntos! As corridas virtuais permitem que vocês tenham uma experiência compartilhada mesmo em lugares diferentes. “Uma dica é combinarem de começar ao mesmo tempo”, sugere Daniel Neves, diretor técnico da DPN Run. Dependendo do que vocês acertarem, talvez dê até para dar uma pausa no meio do caminho e mandar uma mensagem para motivar um ao outro. O treinador diz que acredita nesse formato de corrida para manter a galera treinando. “Correr de máscara é mais difícil e, com isso, não dá para ter a performance de antes. Mas pelo menos cria-se um objetivo e as pessoas se dedicam a alcançá-lo.”

ESCOLHA O PERCURSO

Terra, asfalto, areia, grama, esteira, com subidas ou no plano… Você decide! Em uma corrida virtual, o trajeto tem a sua cara. “É só escolher o tipo de terreno que mais gosta e dar o seu melhor para cumprir o objetivo”, diz Vanilson Neves, diretor técnico da Sub Elite Assessoria, que já participou de alguns desafios virtuais e acredita que a modalidade veio para ficar. “Em um ano em que não teremos mais provas presenciais, as corridas virtuais são bem interessantes para manter a regularidade nos treinos e motivar o progresso no esporte”, comenta.

CORRA OU ANDE

Você ainda não faz parte da tribo da corrida ou não se sente apto para grandes distâncias? Tudo bem. Na corrida virtual o que importa é se colocar em movimento. Portanto, vale caminhar, trotar, correr… “Para motivar, é interessante criar pequenos desafios. Por exemplo: treine para caminhar mais rápido ou aumentar a distância ou ainda estabelecer uma meta de passar da caminhada para a corrida”, sugere Thiago Penna. Tudo é possível! Com a orientação de um profissional de educação física, fica ainda melhor – e você consegue ir mais longe com segurança.

ENVOLVA A FAMÍLIA INTEIRA

Será uma experiência marcante correr com os seus filhos – e até mesmo empurrando um carrinho de bebê. “Pode ser uma forma de envolver os pequenos em uma nova e divertida atividade”, diz Marcos Paulo Reis. E se eles ainda não estão acostumados a praticar exercício, talvez a medalha seja a motivação para completarem uma prova virtual, depois outra e mais uma…

ADOTE UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL

Se nada o estimulou a se mexer nesse período de isolamento social, a corrida virtual pode ser o que você precisa para tomar a decisão de se cuidar melhor. “Caminhar ou correr melhora os sistemas cardiorrespiratório, muscular, esquelético, articular e metabólico e regula os hormônios, entre outros benefícios. Sua saúde melhora em todo os aspectos”, resume a médica Ana Paula Simões, diretora da Sociedade Paulista de Medicina Esportiva. A atividade física de intensidade moderada também contribui para o reforço da imunidade, tão essencial nos tempos atuais. Sem falar que aumenta o fluxo sanguíneo à medida que eleva a frequência cardíaca. “O sangue rico em oxigênio circula por todo o corpo, incluindo o cérebro. Com isso, há um aumento de concentração e maior rapidez de raciocínio, além de melhorar o humor e o sono”, completa Ana Paula. De quebra, você ainda queima muitas calorias e fica em forma.

VOLTE A SENTIR O GOSTINHO DA SUPERAÇÃO

Quem corre ama metas. “E nosso cérebro também. Então, nada melhor que oferecer a ele um objetivo agora – a corrida virtual. Quando temos um propósito, nossa cabeça nos impulsiona a treinar melhor para executar o plano. Experimente fazer, não diga que não gosta antes de provar. Se dê essa oportunidade de um novo tipo de desafio. Sua endorfina agradece”, argumenta a coaching Priscila Janaudis, certificada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e especialista em treino mental e coaching esportivo.

TRABALHE EMOÇÕES POSITIVAS E SE CONHEÇA MELHOR

Se desafiar em qualquer distância, sem o apoio do público e infraestrutura de uma prova tradicional, exigirá que você trace estratégias para chegar até o fim. “Lembre de uma prova ou de um momento esportivo que gostou de participar. Que emoções sentiu? Quanto feliz e endorfinado você estava? Leve tudo isso junto e use quilômetro por quilômetro no dia da sua corrida virtual”, ensina Priscila Janaudis. Esse momento da corrida pode ser também uma boa chance de autoavaliação e descobertas pessoais.

A OPINIÃO DE QUEM JÁ FEZ UMA CORRIDA VIRTUAL

“Combinei com minhas duas irmãs de fazer um desafio de 21K – uma em Brasília e a outra em São Paulo. E ficamos trocando figurinhas sobre os treinos antes da prova. O incentivo da corrida virtual surtiu mais efeito do que eu imaginava. Bem ou mal, me organizei com mais seriedade para encarar a meia maratona. Eu fiz no sábado. Corri na rua, subi e desci calçada, parei no semáforo, fiz muitas curvas. Então, em termos de ritmo, ficou pior do que uma prova competitiva. Mas achei incrível voltar a ter um objetivo, a me provocar. Não teria corrido esses 21K se não fosse o desafio. Quando acabei, corri para o celular para saber como minhas irmãs tinham ido. A Manu completou com louvor os 21K e a Graci fez 10K porque tinha machucado o dedo naquela semana. Corremos em horários, distâncias e cidades diferentes, mas todas motivadas e comprometidas.”

Edith Bertoletti, 48 anos

“No começo do ano eu estava motivada com a corrida, participei de algumas provas. É muito bom cruzar a linha de chegada e ganhar uma medalha. Mas aí começou a pandemia e acabei largando a corrida. O desafio virtual surgiu como uma oportunidade de começar de novo. Corri em um sábado, as ruas em volta do parque estavam cheias de corredores dos mais variados níveis, como em uma prova de verdade. Receber depois a medalha, uma recompensa concreta do meu esforço, foi muito gratificante e me motivou a voltar a treinar.”

Carolina Gamboa, 15 anos

“Costumava fazer muitas provas de 5K por ano, pelo menos uma por mês. Com o cancelamento dos eventos, resolvi experimentar as corridas virtuais. Como tenho quatro treinos programados por semana, acabei encaixando o desafio em um desses dias. Foi divertido e motivador – dei aquela puxada no ritmo como se fosse uma prova de verdade! É bacana também receber a medalha como reconhecimento do esforço e poder acompanhar a minha evolução no ranking da prova.”

Ronaldo Pitta, 63 anos